Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Lula não entra em pauta da última reunião do Comitê de Direitos Humanos da ONU; decisão fica para 2019 - Pássaro da Ilha FM 103,3 » Todo mundo, tá ligado!

Fale conosco via Whatsapp: +55 35 992600800

No comando: Madrugada 103

Das 01:00 às 04:59

No comando: Sertanejo Bom Demais

Das 05:00 às 07:59

No comando: Domingão Sertanejo

Das 05:00 às 19:59

No comando: Sábadaço

Das 08:00 às 10:59

No comando: Alô Bom Dia

Das 08:00 às 11:59

No comando: Programa Expresso

Das 11:00 às 13:59

No comando: Tá Ligado!

Das 12:00 às 15:59

No comando: Sábadaço

Das 14:00 às 18:59

No comando: Show da Tarde

Das 16:00 às 17:59

No comando: Mensagem de Fé

Das 18:00 às 18:10

No comando: Sertanejão 103

Das 18:11 às 18:59

No comando: A Voz do Brasil

Das 19:00 às 19:59

No comando: Parada 103

Das 20:00 às 20:59

No comando: Programação Musical

Das 20:00 às 21:59

No comando: Birds Night

Das 20:00 às 22:59

No comando: Planet Parede

Das 21:00 às 21:59

No comando: Classe A

Das 22:00 às 22:59

No comando: Flash Night

Das 23:00 às 23:59

No comando: Programa Luis Alberto

Das 23:00 às 23:59

Lula não entra em pauta da última reunião do Comitê de Direitos Humanos da ONU; decisão fica para 2019

Queixa de Lula na ONU sobre possível atitude parcial do juiz Sérgio Moro, que levou o ex-presidente à prisão, fica para 2019.

A última reunião do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, iniciada na segunda-feira, em Genebra, não colocou o caso em pauta.

Nas próximas duas semanas, o órgão vai avaliar 22 reclamações individuais. Entre elas, deportações, violações de tratados internacionais e de direitos básicos e alguns, considerados inadmissíveis.

Uma das especialistas do Comitê, Margo Waterval, disse, ao Estadão, que o pedido de Lula não foi incluído na agenda por “haver um volume grande de casos”.

Advogados de Lula levaram a reclamação para a ONU em 2016.

Em agosto passado, o Comitê pediu às autoridades brasileiras para manter os direitos políticos do petista até avaliação do Supremo Tribunal Federal. E até que o mérito do caso fosse decidido, em Genebra.

 

fonte: rádio 2

Deixe seu comentário:

Curta no Facebook