Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Cabo submarino de 40 Tb/s é ativado entre Brasil e Angola - Pássaro da Ilha FM 103,3 » Todo mundo, tá ligado!


No comando: Madrugada 103

Das 01:00 às 04:59

No comando: Sertanejo Bom Demais

Das 05:00 às 07:59

No comando: Domingão Sertanejo

Das 05:00 às 19:59

No comando: Sábadaço

Das 08:00 às 10:59

No comando: Alô Bom Dia

Das 08:00 às 11:59

No comando: Programa Expresso

Das 11:00 às 12:59

No comando: Tá Ligado!

Das 12:00 às 15:59

No comando: Sábadaço

Das 13:00 às 18:59

No comando: Show da Tarde

Das 16:00 às 17:59

No comando: Mensagem de Fé

Das 18:00 às 18:10

No comando: Sertanejão 103

Das 18:11 às 18:59

No comando: A Voz do Brasil

Das 19:00 às 19:59

No comando: Parada 103

Das 20:00 às 20:59

No comando: Programação Musical

Das 20:00 às 21:59

No comando: Birds Night

Das 20:00 às 22:59

No comando: Planet Parede

Das 21:00 às 21:59

No comando: Classe A

Das 22:00 às 22:59

No comando: Flash Night

Das 23:00 às 23:59

No comando: Programa Luis Alberto

Das 23:00 às 23:59

Cabo submarino de 40 Tb/s é ativado entre Brasil e Angola

Cabo submarino SACS (Sistema Atlântico Sul Cabo) liga Fortaleza a Luanda, na Angola, para latência menor entre EUA e África.

O Brasil ganhou mais uma conexão via cabo submarino com o restante do mundo: trata-se do SACS (Sistema Atlântico Sul Cabo), que liga Fortaleza a Luanda, na Angola. Ele tem capacidade de 40 terabits por segundo e oferece latência menor entre EUA e África. Isso será útil para provedores de internet, empresas multinacionais e redes de pesquisa.

Segundo o TeleSíntese, a conexão entre Miami (EUA) e Cidade do Cabo (África do Sul) tem latência de 163 milissegundos no SACS, passando pelo Brasil, contra 338 ms na rota anterior. Entre Fortaleza e Luanda, esse tempo caiu de 350 ms para 63 ms.

O cabo já é utilizado pela RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa), responsável por conectar centros de pesquisas e universidades no Brasil; e pelo Centro de Pesquisas de Miami. A Angola Cables também pretende atrair provedores de internet regionais, grandes operadoras e o setor corporativo.

O SACS possui quatro pares de fibra óptica e tem vida útil de pelo menos 25 anos. A Angola Cables investiu US$ 130 milhões para construí-lo. Ele opera de forma integrada com o Monet, cabo submarino do Google que liga Boca Ratón, na Flórida (EUA), às cidades de Fortaleza e Santos (SP).

 

angola-cables-sacs

Brasil terá mais cabos submarinos para internet

Há cada vez mais cabos submarinos no Brasil, alguns deles lançados em 2018. O recém-construído SAIL (South Atlantic Inter Link) tem capacidade de 32 Tb/s e vai de Fortaleza até Camarões, na África. O BRUSA, de 138 Tb/s, conecta o Brasil a Porto Rico e aos EUA.

O Tannat, de 90 Tb/s, ligará Praia Grande (SP) a Maldonado (Uruguai). E o Júnior, de 13 Tb/s, conectará a cidade do Rio de Janeiro à Praia Grande para transmitir apenas dados do Google. Ambos estão previstos para entrarem em operação ainda este ano. Enquanto isso, o ARBR — entre Brasil e Argentina — só deve ficar pronto em 2019.

 

 

mapa-telegeography-2018-brasil-1

Mapa dos cabos submarinos no Brasil elaborado pela TeleGeography

 

Fonte: tecnoblog.net

Deixe seu comentário:

Curta no Facebook